Joakim Noah quebra o silêncio sobre a troca de Deng

O center falou pela primeira vez desde que Deng foi trocado para os Cleveland Cavaliers.

Desde que um dos seus melhores amigos na equipa, Luol Deng, foi trocado na última segunda-feira, Joakim Noah manteve-se em silêncio no que toca a falar aos jornalistas. Mas depois da vitória dos Bulls por 103-97 sobre os Bobcats, o quinto desde o ano novo e o terceiro desde a troca, Noah falou pela primeira vez em cinco dias.

“A troca definitivamente magoou-me, mas temos de seguir em frente,” disse Noah. “Sinto-me confiante com esta equipa. Trabalhamos no duro. Muitas pessoas dizem que isto é um negócio. Mas este jogo é mais do que um negócio para mim. Coloco tudo de mim nisto. E sinto que o Lu é igual. Todos têm um trabalho diferente. Não estou zangado com ninguém, não estou zangado com a organização ou algo do género. É só que o meu irmão não está mais aqui. Preciso apenas de um pouco de tempo para digerir isso.”

Noah disse que apesar de estar magoado com a troca – e da diferença entre a perspetiva entre jogador e administração – o diretor geral Gar Forman e o vice presidente de operações John Paxson falaram consigo e asseguraram ao jogador que a organização ainda está comprometida em construir uma equipa que possa competir por um campeonato da NBA

“No final do dia, é o meu irmão. E não está mais aqui. É a maneira como vejo as coisas,” disse.

“Não estão comigo dentro de campo, não estão no avião. Não sabem o quanto o Lu representa para mim. Mas como disse, não estou zangado com ninguém. Não tenho de estar feliz com a decisão que fizeram. Toda a gente tem um trabalho para fazer. No final do dia, trocar o Lu é algo que eu não percebo. Mas tenho de viver com isso. E tenho de entrar em campo e dar tudo o que tenho.”

E é isso que tem feito. Noah disse que joga pelas pessoas em Chicago que puxam pelos Bulls apesar das adversidades que a equipa tem enfrentado devido a lesões e alterações no plantel.

“Aqueles que vendem jornais na rua, no frio, que vêm quando passo, ficam entusiasmados. Do tipo, ‘Força Bulls. Ganhem esta noite.’ Eu sinto que jogo para esses,” disse Noah. “Quando olho para o topo do arena, durante os descontos de tempo, e vejo aquele tipo que puxa e salta por nós, é para ele que eu jogo. Para mim, é isso que a cidade representa. Há muitas dificuldades e adversidades nesta cidade. Quando jogo, quero que as pessoas tenham orgulho na sua equipa.”

Faça um comentário...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.