Bulls – Timberwolves, 134-122; DeRozan e White lideram os Bulls na vitória

134-122

Jogo no United Center, em Chicago (IL)
1 2 3 4 T
Chicago Bulls 27 33 32 42 134
Minnesota Timberwolves 27 32 32 31 122

Parece que, afinal, os Bulls foram os vencedores do fecho da janela de transferências da NBA.

Mas não pelas adições. Foi por quem não perderam, Coby White.

Isto porque o base/titular/suplente, que tem mais identidades pelos Bulls que James Bond nos filmes, esteve no seu melhor e salvou os Bulls numa vitória por 134-122 contra os Minnesota Timberwolves.

Coby, na verdade, foi o quarto melhor marcador dos Bulls com 22 pontos já que DeMar DeRozan continuou a marcar, linda e destrutivamente com 35 pontos, seis ressaltos e seis assistências, igualando o máximo da carreira com cinco jogos consecutivos a marcar pelo menos 30 pontos e liderando a NBA em pontuação este mês. Nikola Vucevic continuou a mostrar o que nos tem habituado recentemente com 26 pontos, oito ressaltos e sete assistências, e tem convertido acima de 60% nos seus últimos 11 jogos. E Javonte Green igualou o seu máximo de carreira com 23 pontos, tirando vantagem das marcações duplas que os Timberwolves fizeram sobre os três principais jogadores dos Bulls e atacou o cesto com afundanços e bandejas.

Os 134 pontos dos Bulls com 63.2% foram o melhor da temporada juntamente com 32 assistências enquanto Ayo Dosunmu voltou a jogo depois de uma concussão e conseguiu um duplo-duplo de 14 pontos e dez assistências.

Mas foram os lançamentos de Coby, todos os seus seis triplos vieram num intervalo de seis minutos no final do terceiro período até meio do quarto, que tornaram uma liderança de cinco pontos dos Timberwolves numa vantagem acima da dezena para os Bulls que basicamente retiraram qualquer capacidade de reação da equipa de Minnesota.

“Encontrei um pouco de ritmo. Estava apenas a tentar ajudar a minha equipa a vencer,” disse White. “O meu lançamento estava a sair bem. Fiquei focado e preparado para quando a oportunidade surgia.”

Mas foi mais do que isso.

Os Bulls precisam mesmo de Coby White porque ele é um dos seus mais valiosos jogadores.

Não o mais valioso.

Sabemos que esse é DeRozan, quanto mais não seja porque todos gritam isso sempre que está na linha de lance livre.

Mas Coby faz basicamente tudo o que mais ninguém na equipa faz, e foi quem respondeu ao que o treinador Billy Donovan disse que era o grande problema num jogo quase perfeito ofensivamente,

O banco não era muito bom.

Claro, muito do banco está agora a ser titular (Green e Dosunmu) e o resto está lesionado, Alex Caruso e Derrick Jones Jr. Esse banco é muito bom. Este banco? Nem por isso. Exceto por Coby.

“Foi bom ver o Javonte e o Coby a chegarem-se à frente e terem a noite que tiveram ofensivamente,” comentou Donovan. “O DeMar tem feito consistentemente o ano todo e acho que o Vooch foi realmente eficiente e o Zach tentou jogar da maneira certa.”

“Temos de ter mais do nosso banco,” continuou Donovan. “Tony (Bradley) deu-nos alguns bons minutos (e um cesto, os únicos pontos vindos do banco tirando os 22 de Coby). Temos de ter mais do Troy Brown, temos de ter mais do Malcolm (Hill), quando o Matt (Thomas) está lá. Simplesmente temos de ter mais do nosso banco. Mesmo do ponto de vista dos minutos temos de ser capazes de ajudar um pouco. Precisamos que o nosso banco absorva alguns desses minutos. Enquanto não estivermos completos como um grupo – e a nossa equipa tem feito um trabalho excelente este anos quando temos jogadores de fora, vários jogadores chegaram-se à frente – temos de nos chegar à frente coletivamente nos dois lados do campo com minutos bons e de qualidade.”

O momento em que DeRozan aponta a palma da mão para o chão depois de todo o ‘trash-talk’ de Patrick Beverley.

LaVine parece estar a passar por dificuldades físicas com um jogo tranquilo com 12 pontos. Pareceu estar em dificuldades depois de um afundanço, e Donovan disse que com jogos seguidos a equipa vai, como sempre, considerar circunstâncias individuais.

“Nesta altura do ano, acho que ninguém se sente bem,” disse Donovan. “Ele (LaVine) teve de lidar com o seu joelho e com as acostas. É muita coisa. Tenho a certeza que ele não está onde queria estar fisicamente, mas dou-lhe muito mérito. Ele tem jogado e tentado fazer o que pode para ajudar a equipa. Temos de trabalhar através disto com ele, e ele faz o que pode por nós.”

LaVine diz sempre que odeia falhar jogos e adora jogar. Não é pretensioso da parte dele. Tem atitudes. Muitos jogadores na NBA não estariam a jogar. E talvez LaVine não deva jogar. Mas com tantos jogadores lesionados e a pausa do All-Star (onde estará a jogar) a chegar e com algum tempo de folga, ele está a insistir. É o tipo de jogador que queres que se dê bem. Porque se importa, provavelmente mais do que nós.

Os Bulls têm de se sentir afortunados por terem LaVine.

E também por ter Coby. Não que tenham tido, aparentemente, planos de o trocar.

“Arturas (Karnisovas), Marc (Eversley), Billy, nunca vieram ter comigo com conversas sobre trocar-me,” disse White depois do jogo. “Por isso não me preocupo. Não presto atenção à internet e a rumores, não sou essa pessoa. Apenas me foco no que posso fazer para ajudar a equipa e melhorar como jogador e como pessoa. No final do dia é isso que interessa para mim.”

Mas houve muita especulação acerca de Coby porque ele é talentoso, e não DeRozan, LaVine ou Vucevic. Os Bulls não os vão trocar, e com a falta de jogadores e analisando as necessidades, o nome de White apareceu muito nas notícias e nas especulações sobre trocas. De facto, na última semana, Coby foi o único jogador dos Bulls a quem os jornalistas perguntaram acerca de trocas.

“Tal como tenho dito, está fora do meu controlo,” reiterou Coby. “Sou um tipo tranquilo. A administração faz um bom trabalho de comunicação. Nunca fui até eles e disse, ‘isto está a acontecer?’ Para mim foi sempre, ‘Adoro estar aqui e quero estar aqui.’ Por isso ao final do dia nunca sou apanhado nisso. Apenas me concentro no jogo e o qu acontecer acontece. Não me preocupo. Essas coisas todas, não presto atenção a isso.”

O que é bom, já que os Bulls não podem lidar com um Coby distraído.

Tem sido uma espécie de porto seguro para Donovan durante a onda de lesões e doenças. Mais uma vez, antes do jogo no seu encontro habitual com os jornalistas, Donovan reforçou como Coby, mais do que ninguém na equipa, tem sido sujeito a mudanças de papel desde titular a suplente, de lançador a organizado, muitos minutos e poucos minutos. Entre as tempestades de incerteza, Coby tem emergido como um ponto de estabilidade.

Donovan aparentemente estava tão preocupado, e talvez um pouco apologético, que Coby relatou que o técnico falou com ele antes do jogo e lhe disse que quando os jogadores lesionados voltarem, Coby terá o papel de pontuador dos suplentes habituais.

“A única coisa que me disse foi que ele sabe que eu tenho alternado bastante e quando a equipa estiver completa novamente eu virei do banco,” disse Coby. “O meu papel mudou tanto. Ele só quer alguma consistência para mim vindo do banco e ficar nesse papel em vez de mudar e estar aqui e ali.”

“Desde que jogue e continue a ter capacidade de entrar e jogar, não me interessa o papel que tenho,” disse Coby. “Vou descobrindo, é assim que sou.”

É outro exemplo extraordinário da química da equipa que os Bulls construíram este ano. Todos pelo mesmo. Não garante o sucesso final, mas ninguém duvida que outras equipas quisessem o mesmo.

Coby começou no banco contra os Timberwolves em transição com um elétrico Anthony Edwards, que marcou 31 pontos. Minnesota está nos primeiros oito do Oeste, com o recorde de 29-27, depois de ter ido aos playoffs uma vez nos últimos 18 anos durante várias reconstruções. Jogam a um ritmo frenético, lideram a liga em tentativas de 3 pontos.

Donovan usou o banco mais extensivamente no começo do jogo, usando nove jogadores no primeiro período que terminou empatado 27-27. Mas com seis perdas de bola e 22 pontos no garrafão para os Timberwolves as coisas não estavam a correr bem.

DeRozan começou a carburar no segundo período com uma dúzia de pontos. Mas a rapidez de Edwards a ir para o cesto não era páreo para ninguém que tentasse e os Bulls tinham apenas 1 ponto de vantagem ao intervalo, mesmo com os Timberwolves a falharem 15 dos seus 17 lances livres.

Os Bulls ficaram nove pontos à frente no começo do terceiro período depois de Vucevic ter feito um par de triplos. E Green continuou a encontrar espaços.

“Ele é um tipo duro, trabalhador, joga muito duro, faz o que a equipa precisa. Lança, ressalta, defende o melhor extremo adversário, ele vive para jogar,” disse Coby White acerca de Green. “Consegues ver que adora jogar pela maneira como joga duro. É dos meus. Posso falar e falar acerca dele, como é importante para a equipa, as coisas que trás. É tão versátil, um tipo duro que adora jogar.”

Não existe maior elogio para Coby White.

Subitamente no terceiro período os Bulls olham para o marcador e vêm os Timberwolves na frente por 91-86. Foi então que Coby converteu um triplo vindo de um passe de Vucevic. Roubou uma bola e fez outro triplo. Isso colocou os Bulls na frente por 92-91 no caminho para o quarto período, e mais quatro triplos de Coby nos primeiros seis minutos da etapa final deixaram os Bulls na frente por 118-107.

DeRozan, com 16 pontos no último período acabou com o jogo, com tempo ainda para apontar a palma da mão para o chão na direcção de Patrick Beverley, presumivelmente dizendo que era demasiado pequeno para o defender depois de um ‘jumper‘ na linha de fundo sobre Beverley para o 130-112 com 2:35 por jogar.

“Conseguimos juntos, todos tivemos ritmo, movemos a bola, partilhámos a bola, jogámos duro e tentámos sair na transição e ter cestos fáceis,” disse DeRozan. “Temos de entrar em campo e jogar desesperadamente todas as noites como se fôssemos ‘outsiders’. Enquanto tivermos essa mentalidade vamos jogar e competir.”

Tal como Coby White tem de fazer todos os jogos.


Estatísticas dos Chicago Bulls (35-21)
Titulares MP PTS REB AST STL BLK TOV FG 3P FT
Ayo Dosunmu 42 14 4 10 3 0 1 6-7 2-3 0-0
DeMar DeRozan 38 35 6 6 1 0 0 14-22 0-1 7-7
Zach LaVine 37 12 4 6 0 1 4 5-14 1-6 1-3
Nikola Vucevic 35 26 8 7 0 0 1 11-14 2-4 2-2
Javonte Green 31 23 4 1 0 0 3 10-13 3-4 0-0
Suplentes MP PTS REB AST STL BLK TOV FG 3P FT
Coby White 19 22 6 1 2 0 3 8-12 6-10 0-0
Tony Bradley 13 2 4 1 0 2 0 1-1 0-0 0-1
Troy Brown Jr. 11 0 5 0 0 0 1 0-3 0-2 0-0
Malcolm Hill 4 0 2 0 0 0 0 0-1 0-1 0-0
Matt Thomas
Tyler Cook
Alfonzo McKinnie
Totais da Equipa 240 134 43 32 6 3 13 55-87 14-31 10-13
Estatísticas de NBA.com
Legenda: MP – Minutos Jogados; PTS – Pontos; REB – Ressaltos; AST – Assistências; STL – Roubos de Bola; BLK – Desarmes de Lançamento; TOV – Perdas de Bola; FG – Lançamentos de Campo; 3P – Triplos; FT – Lances Livres.
Estatísticas dos Minnesota Timberwolves (29-27)
Titulares MP PTS REB AST STL BLK TOV FG 3P FT
Anthony Edwards 37 31 6 8 0 1 4 12-22 3-9 4-6
Karl-Anthony Towns 37 27 8 8 2 1 0 12-19 1-3 2-3
Patrick Beverley 30 10 1 6 1 1 1 3-9 2-6 2-2
D’Angelo Russell 29 18 1 3 1 0 3 6-13 2-6 4-4
Jarred Vanderbilt 25 6 3 1 1 0 0 3-4 0-0 0-0
Suplentes MP PTS REB AST STL BLK TOV FG 3P FT
Malik Beasley 23 11 4 1 1 1 0 4-11 2-8 1-1
Jaden McDaniels 21 9 4 1 0 0 1 4-8 1-3 0-0
Jordan McLaughlin 14 4 2 4 1 0 0 2-3 0-0 0-0
Taurean Prince 13 3 1 0 0 0 0 1-3 1-2 0-0
Naz Reid 11 3 2 0 0 0 0 1-4 1-3 0-0
Jake Layman
Leandro Bolmaro
Nathan Knight
Jaylen Nowell
Johs Okogie
Totais da Equipa 240 122 32 32 7 4 9 48-96 13-40 13-16
Estatísticas de NBA.com
Legenda: MP – Minutos Jogados; PTS – Pontos; REB – Ressaltos; AST – Assistências; STL – Roubos de Bola; BLK – Desarmes de Lançamento; TOV – Perdas de Bola; FG – Lançamentos de Campo; 3P – Triplos; FT – Lances Livres.

Faça um comentário...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.