Bulls – Knicks, 109-103; Quarto período leva a vitória difícil

[event_teams 1206]


Tem sido um calendário difícil para os Bulls, mas a equipa de Billy Donovan continua a encontrar maneiras de vencer. Contra outro adversário acima de 50% de vitórias, os Bulls vestiram o fato-macaco e arrancaram uma difícil vitória por 109-103 no United Center. A décima segunda vitória da temporada deixa os Bulls na frente da Conferência Leste.

Billy Donovan viu a sua equipa a assegurar a vitória com 37 pontos no último período, o que foi necessário para recuperar a liderança que perderam no terceiro. A exibição nos 12 minutos finais esteve a carga da dupla LaVine-Derozan. No geral, em termos de ataque, os Bulls estiveram bem, com quatro jogadores a ultrapassar a dezena de pontos. Acertaram 42% dos lançamentos mas não jogaram muito na transição, conseguindo apenas quatro pontos neste quesito. Continuaram a melhorar os lançamentos no perímetro, conseguindo 37.9%. DeRozan liderou os marcadores com 31 pontos e 50% nos lançamentos.

O jogo começou bem, com os Bulls a alcançarem uma liderança de 20-8 nos primeiros seis minutos, até que a defesa dos Knicks começou a forçar más decisões. Lonzo Ball foi o motor ofensivo dos Bulls no primeiro período, marcando sete pontos. Depois de chegar à dezena de pontos de vantagem, os Bulls começaram a ter problemas, marcando apenas cinco pontos nos restantes cinco minutos do período. Os Knicks tiraram partido disso, conseguindo um parcial de 12-5 o que anulou a vantagem no final do primeiro período.

Os Bulls voltaram à dezena de pontos de vantagem no começo do segundo período graças a uma jogada de três pontos de Tony Bradley. Contudo os Knicks continuaram a aguentar-se e não deixaram a liderança fugir para números elevados. Os Bulls não fizeram nenhum favor a si próprios, com decisões questionáveis e lançamentos difíceis desnecessários.

Houve também alguma frustração com a equipa de arbitragem, com o ponto alto a acontecer no segundo período quando DeMar DeRozan e Alex Caruso a receberem faltas técnicas no espaço de um minuto.

Os Knicks mantiveram-se perto dos Bulls, e Julius Randle converteu um triplo em cima da buzina o que deixou o jogo com seis pontos a separarem as duas equipas ao intervalo (51-46).

Se o segundo período não foi famoso para a equipa da casa, o terceiro foi ainda pior. E defensivamente os Bulls passaram um mau bocado com Randle, que marcou 13 pontos a seguir ao intervalo, encontrando sempre maneira de chegar ao cesto. Foi neste momento que a falta de altura provocou problemas aos Bulls, já que Caruso era de longe a melhor opção para defender Randle.

Os Bulls mantiveram-se à tona graças a dois cestos no minuto final de DeRozan, enquanto a liderança dos Knicks, que chegou a ser de seis pontos, ficava-se pelos dois pontos à entrada do quarto período.

E quando mais precisou, o ataque de Chicago mostrou-se de maneira improvável. Coby White, que tem tido dificuldades desde que voltou de lesão, não teve uma grande primeira parte, mas no período final animou a equipa e o público. Converteu um triplo que deu a liderança à sua equipa, assistiu Derrick Jones no canto que deu um liderança de quatro pontos aos Bulls e obrigou Tom Thibodeau a pedir um desconto de tempo.

Coby White continuou a produzir, marcando dez pontos. Esses pontos foram cruciais para o ataque dos Bulls, já que estavam a ter dificuldades devido à marcação dupla sobre DeRozan à saída do ‘pick-n-roll‘, e a capacidade de lançar de primeira de White abriu o jogo para os Bulls.

Apesar da liderança por seis pontos em dois minutos, cada vez que os Bulls faziam um cesto, os Knicks respondiam. A liderança estava apenas nos dois pontos nos quatro minutos finais e foi quando a dupla de pontuadores dos Bulls decidiu fechar o jogo. DeRozan e LaVine combinaram 12 dos últimos 13 pontos dos Bulls.

Com 1:30 por jogar, e três pontos a separar as duas equipas, os Bulls procuravam fechar o jogo. Os Knicks tinham acabado de finalizar uma jogada de três pontos por Randle que resultou da sexta falta de Caruso. Depois de um cesto de DeRozan, LaVine cortou para o cesto e finalizou com a mão esquerda na passada.

Immanuel Quickley falhou um lance livre, o que levou os Knicks a fazem falta. Os Bulls converteram os seus lances livres e foi uma viagem tranquila até ao fim a partir daí.

Apesar de não jogar bem metade do jogo, os Bulls foram capazes de ir buscar a vitória. O começo rápido no quarto período animou o ataque e os jogadores-chave estiveram à altura da ocasião quando chamados à acção.


Estatísticas dos Chicago Bulls (12-5)
Titulares MP FG 3P FT TRB AST STL BLK TOV PF PTS +/-
Alex Caruso 30 3-7 1-4 2-2 4 4 0 0 0 6 7 17
DeMar DeRozan 37 10-20 2-2 9-9 6 5 2 0 3 1 31 21
Tony Bradley 18 3-5 0-0 1-1 4 0 0 0 1 1 7 11
Zach LaVine 36 7-20 0-5 7-7 6 4 1 1 2 2 21 -8
Lonzo Ball 35 4-11 3-7 0-0 6 5 1 0 2 4 11 6
Suplentes MP FG 3P FT TRB AST STL BLK TOV PF PTS +/-
Derrick Jones 21 3-6 1-1 1-2 7 0 0 0 0 3 8 2
Ayo Dosunmu 19 2-6 1-4 0-0 2 1 1 0 0 1 5 -15
Javonte Green 15 1-2 0-0 3-4 9 0 0 0 1 4 5 -6
Coby White 20 5-11 3-6 1-2 0 2 0 0 0 2 14 9
Alize Johnson 4 0-0 0-0 0-0 0 0 0 0 0 2 0 -7
Troy Brown
Matt Thomas
Totais da Equipa 240 37-88 11-29 24-27 44 21 5 1 9 26 109
Estatísticas de Basketball-Reference.com
Legenda: MP – Minutos em Campo; FG – Lançamentos (convertidos/tentados); 3P – Lançamentos de três pontos (convertidos/tentados); FT – Lances Livres (convertidos/tentados); TRB – Ressaltos; AST – Assistências; STL – Roubos de Bola; BLK – Blocos; TOV – Perdas de Bola; PF – Faltas Pessoais; PTS – Pontos.

Faça um comentário...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.